Região Sul entre as 10 mais do turismo internacional

Região Sul entre as 10 mais do turismo internacional

Destinos da região receberam 31% dos visitantes estrangeiros de lazer e 12,5% dos que vieram ao Brasil a negócios em 2016

A campanha de promoção do Sul, lançada pelo Ministério do Turismo na última semana, é mais um impulso para divulgação de uma região que é destaque nos indicadores de turismo internacional no Brasil. Cidades do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina estão entre as 10 mais visitadas pelos turistas estrangeiros que estiveram no país a lazer e a negócios em 2016.

No ano passado, segundo pesquisa do Ministério do Turismo, o Brasil recebeu 6,6 milhões de visitantes internacionais, dos quais 56,8% em viagens de lazer. Dos 10 destinos mais visitados com essa motivação, 4 foram da Região Sul. Florianópolis ficou em segundo lugar, abaixo somente do Rio de Janeiro, principal destino de lazer do país; e Foz do Iguaçu (PR), em terceiro. Juntas, as duas sulistas receberam 31% dos visitantes a passeio.

As catarinenses Bombinhas e Balneário Camboriú também entraram na lista dos mais visitados. Ficaram em 6º e 8º lugar numa lista que inclui também grandes capitais como São Paulo e Salvador.

» Confira a campanha completa

» Saiba como foi o lançamento da campanha

No turismo de negócios, a presença dos destinos da região, com 12,5% de participação, também é expressiva. Tem quatro entre os dez destinos mais visitados a negócios. Curitiba é o terceiro, abaixo somente de São Paulo e Rio de Janeiro. Logo em seguida está Porto Alegre. Foz do Iguaçu e Florianópolis ocupam a 7ª e a 10ª posição respectivamente.

Florianópolis, Curitiba, Porto Alegre e Foz do Iguaçu estão também entre as 10 cidades brasileiras que mais realizaram eventos internacionais (ICCA/2016).  A Região Sul, que já recebeu investimentos de R$ 1,4 bilhão do MTur para obras de infraestrutura nos três estados, também é a intenção de destino de 14,4% dos brasileiros que planejam viagens para os próximos seis meses, segundo pesquisa do MTur.

Fonte: Ministério do Turismo